ASSEMBLEIA DEZEMBRO

Ministério da China diz que caso Peng Shuai não deve ser "politizado"

Por Redação em 23/11/2021 às 14:38:07

Quando questionado por um repórter se o caso Peng afetaria negativamente a imagem da China, Zhao disse: “Acho que algumas pessoas deveriam parar com a propaganda maliciosa e não politizar esta questão.”

Seus comentários ecoam os de um proeminente editor de um jornal estatal chinês na terça-feira. “Algumas forças ocidentais estão coagindo Peng Shuai e uma instituição, forçando-os a ajudar a demonizar o sistema da China”, escreveu Hu Xijin, editor do tabloide nacionalista Global Times, no Twitter.

Peng, duas vezes campeã do Grand Slam em duplas e uma das melhores jogadoras de tênis da China, acusou publicamente Zhang de forçá-la a fazer sexo em sua casa, de acordo com imagens de uma postagem de 2 de novembro já excluída nas redes sociais.

Seu desaparecimento da vida pública por mais de duas semanas após a acusação gerou uma onda de preocupação internacional, com a Associação Feminina de Tênis e as Nações Unidas pedindo uma investigação sobre suas alegações de agressão sexual.

O chefe da WTA, Steve Simon, ameaçou sair da China a menos que Peng fosse encontrada e suas alegações investigadas.

No domingo, o presidente do COI, Bach, fez uma ligação de vídeo com Peng, que estava acompanhado pelo oficial esportivo chinês Li Lingwei e pela presidente da Comissão de Atletas, Emma Terho.

O COI não forneceu à CNN acesso ao vídeo, mas disse em um comunicado que Peng insistiu que ela está “segura e bem, morando em sua casa em Pequim, mas gostaria que sua privacidade fosse respeitada neste momento”.

A ligação, que supostamente durou 30 minutos, parece ser o primeiro contato direto conhecido de Peng com autoridades fora da China desde que fez as acusações.

A Anistia Internacional disse que o COI estava “entrando em águas perigosas” com a videochamada. “Eles devem ser extremamente cuidadosos para não participar de qualquer ação ilícita de uma possível violação dos direitos humanos”, disse o pesquisador da Anistia na China, Alkan Akad.

A WTA também renovou sua demanda por uma investigação após a chamada.

“Foi bom ver Peng Shuai em vídeos recentes, mas eles não aliviam ou abordam a preocupação da WTA sobre seu bem-estar e capacidade de se comunicar sem censura ou coerção”, disse o porta-voz à CNN em um comunicado.

“Este vídeo não muda nosso apelo por uma investigação completa, justa e transparente, sem censura, de sua alegação de abuso sexual, que é a questão que deu origem à nossa preocupação inicial.”

Peng Shuai durante partida no Open da Austrália, em Melbourne (21 de janeiro de 2020) / AP Photo/Andy Brownbill

As autoridades chinesas não reconheceram as alegações de Peng contra Zhang e não há indicação de que uma investigação esteja em andamento. Ainda não está claro se Peng relatou suas alegações à polícia.

Zhang tem se mantido discreta e sumida da vida pública desde sua aposentadoria em 2018, e não há informações públicas sobre seu paradeiro atual.

Na China, líderes partidários de alto escalão, como Zhang, geralmente estão além da crítica pública, mesmo quando aposentados. Como vice-primeiro-ministro, Zhang serviu no Comitê Permanente do Politburo do Partido Comunista, o órgão de liderança supremo do país, ao lado do presidente chinês Xi Jinping.

*Esta matéria foi traduzida. Leia a original em inglês

Este conteúdo foi originalmente publicado em Ministério da China diz que caso Peng Shuai não deve ser “politizado” no site CNN Brasil.

Comunicar erro
ASSEMBLEIA DEZEMBRO

Comentários

abba